Início

#Θεωσις SUICÍDIO

Deixe um comentário

XIV DOMINGO DO TEMPO COMUM – ANO A (Pe. Lucas, scj)

Deixe um comentário

Caros irmãos, neste final de semana, celebramos o décimo sexto Domingo do Tempo Comum, no qual Jesus propõe três parábolas (cf. Mt 13,24-43): a do joio e do trigo, da semente de mostarda e do fermento na massa. Aproximemo-nos delas e peçamos ao Senhor os dons da fidelidade, da esperança da paciência.

Em nossa vida, encontramos pessoas que têm fé, pertencem a Deus, mas também joio-e-trigoencontramos pessoas que não têm fé. Então, além de nos cuidarmos para sermos gente de fé – como proposto na parábola do domingo passado, a do semeador (cf. Mt 13,1-23) – precisamos ter paciência, pois não temos competência para julgar os corações. É necessário identificar e combater os erros. Porém, como saber se se trata de um erro e, portanto, de uma ignorância ou de um mal feito intencionalmente? Assim, peçamos ao Senhor que nos dê vigilância e fidelidade para que o mal não seja semeado em nós e paciência para esperar o tempo da colheita.

Além disso, animemo-nos apesar de nossa aparente pouca influência diante dos grandes problemas da sociedade e da Igreja. Pois uma semente muito pequena (aparentemente insignificante) é capaz de abrigar quem precisa de auxílio e um pouco de fermento transforma a massa inteira. Peçamos, dessa forma, ao Senhor, a esperança.

Que a Santíssima Virgem Maria interceda por nós hoje e sempre!

#Θεωσις AONDE ESTÁ O JOIO?

Deixe um comentário

#Θεωσις SABEDORIA DO ABANDONO

Deixe um comentário

#Θεωσις COISAS GRANDE ESTÃO POR VIR

Deixe um comentário

#Θεωσις FAZ SENTIDO O QUER

Deixe um comentário

XIV DOMINGO DO TEMPO COMUM – ANO A. (Pe Lucas, scj)

Deixe um comentário

XIV DOMINGO DO TEMPO COMUM – ANO A

 

Caros irmãos, celebramos neste final de semana o décimo quarto Domingo do Tempo Comum e, nele, ressoa o chamado de nosso Senhor Jesus Cristo: “Vinde a mim” (Mt 11,28). Aproximemo-nos com confiança da fonte da Misericórdia!

É muito comum a opinião de que o Cristianismo, a Igreja ou mesmo Jesus, tenha exigências muito grandes para nossa vida. E, talvez, nós mesmos tenhamos esta opinião… Mas, deixemo-nos atingir pelo chamado do Senhor: “Vinde a mim, todos vós, que estais cansados e fatigados sob o peso dos vossos fardos, e eu vos darei descanso. Tomai sobre SCJvós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração, e vós encontrareis descanso. Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve” (Mt 11,28-30).

Viver buscando a felicidade à nossa maneira, como se ela estivesse disponível nas coisas (e nos prazeres) deste mundo é impor-se um fardo pesado demais. Não há como ter sucesso neste caminho porque é esperar mais do que aquilo que passa pode nos dar. É como querer saciar-se com comida de porcos (cf. Lc 15,16). Cansa. Desanima. Destrói. Mas tal via não é a única. Existe outro Caminho… Disse-nos S. João Paulo II: “Na realidade, é Jesus quem buscais quando sonhais a felicidade”.

Ouçamos, portanto, mais uma vez: “Vinde a mim”, diz o Senhor. Ele está acessível: veio a nós em incrível humildade (cf. primeira leitura). E “encontrareis descanso” – paz, alegria, consolação; enfim, felicidade. “Pois meu jugo é suave e o meu fardo é leve”: é muito melhor saber para onde se vai quando o desafio – ou a cruz – chega. É impossível viver sem desafios e cruzes. Mas é muito mais leve enfrentá-los sabendo para onde e com quem se vai, já que é o Espírito quem nos conduz, transforma e vivifica (cf. segunda leitura).

Que a Santíssima Virgem Maria interceda por nós neste caminho!

Older Entries