“Em relação à sua vida, o testemunho mais importante é o de Santo Ireneu, Bispo de Lião, até 202. Ele afirma que Clemente “tinha visto os Apóstolos”, “tinha-se encontrado com eles”, e “ainda tinha nos ouvidos a sua pregação e diante dos olhos a sua tradição” (Adv. haer. 3, 3, 3)”

Alegra-nos sempre ter acesso a este tesouro da Fé, São Clemente de Alexandria, que já no primeiro século nos dá indícios fortes da importância do primado do papa, de pontos fundamentais da moral Cristã, da organização da Liturgia (do jeito de celebrar a missa…) baseados na possível convivência, experiência e ensinamento da primeira geração de cristãos: Os próprios Apóstolos.

Evidentemente que tudo isso passou por uma evolução ao longo da História do Cristianismo para chegar ao que somos hoje. Meditando sobre este grande homem da nossa fé podemos focar nosso coração-racional sobre o verdadeiro sentido que a Tradição tem para nós amigos dos santos.

Falar de tradição no mundo de hoje soa nas mentes das pessoas em geral algo de passado, atrasado, retrogrado, ultrapassado. O desprezo pela tradição tem no seu fundo o medo, a rejeição, a justificação para não se comprometer com nada, nem com ninguém. Isto porque, infelizmente trajaram a tradição com vestes chamadas de escravidão, de alienação, de mero culturalismo, porém pensar assim é um erro muito grave. A tradição pode vestir-se sim disso, mas não é esta a sua compreensão correta.

Tradição significa, traduzir, transmitir, ensinar, oferecer um caminho que deu certo e que pode se aperfeiçoar; está mais ligado à educar, inserir, incluir. Evidentemente que Ela esta sempre aberta ao novo, do contrário estaríamos ainda na Idade da Pedra em muitas coisas, porém cada elemento novo sempre carregará uma experiência do antigo.  Sem o antigo não há o novo, e o novo sempre se constrói no antigo ou a partir do, porque só Deus pode criar coisas do nada.

Sem tradição não se constrói identidades, personalidades, sociedades, modelos culturais etc…; sem tradição o ser humano estaria fadado à eterna animalidade. Por isso, Deus utilizou e continua a utilizar da Tradição para se comunicar conosco e nos dar acesso a Ele pela Revelação. Para nós, Cristãos e amigos dos santos, a Tradição nasce a partir de Jesus Cristo: “Cristo Senhor, em quem se consuma toda a revelação do sumo Deus, ordenou aos Apóstolos que o Evangelho prometido antes pelos profetas, completado por ele e por sua própria boca promulgado, fosse por eles pregado e a todos os homens como fonte de toda a verdade salvífica e de toda a disciplina de costumes, comunicando-lhes dons divinos” (C.I.C § 75s.).

Portanto, podemos chegar a conclusão que é impossível ser humano, ser religioso e muito menos ser Católico sem considerar a Tradição. A vida e as obras de São Clemente também nos levam a perceber que sem a Tradição não teríamos o testemunho dos que viram, ouviram e tocaram o Verbo, ou seja, sem tradição não há Igreja de Jesus Cristo, nem Bíblia, nem fé. Logo, sem Tradição o que restará?

São Clemente, ajudai-nos a mudar nossa mentalidade sobre a Santa Tradição! Amém!

Por Frater Claudemir Marcel de Faria, scj

Anúncios