“Nós nos reunimos em assembléia e em congregação para assediar Deus com as orações quase como um exército. Esta violência agrada a Deus”.

Caros amigos, que bom voltar ao CommunioSCJ, estava com saudades. Nestas semanas que passei sem escrever para o nosso blog, estava escrevendo meu TCC, que em breve irei partilhar aqui com todos, sobre a Divinização do ser humano.
Nesta semana estamos caminhando com Tertuliano, grande Padre da Igreja. Iremos explorar o seus escritos sobre a oração. Costumo comentar sempre com os meus irmãos do blog: “Quer ver a sua vinda mudar”? Experimente rezar um pouco mais! Por isso, Direção Espiritual em que o dirigido não reza é bate papo. Podemos fazer em qualquer lugar, por exemplo, em um buteco ou pizzaria. “Quem não reza é uma pessoa em perigo!” Dizia o Beato João Paulo II na “Evangelium nuntianti”. Quando há perigo de se perder, a oração nos coloca no caminho certo.
Tertuliano diz que: “a oração coroada pelo amor, acompanhada pelo solene cortejo das boas obras, entre salmos e hinos, nos alcançará de Deus tudo o que pedimos. A oração não tem outra finalidade senão tirar do caminho da morte as almas dos defuntos, robustecer os fracos, curar os enfermos, libertar os possessos, abrir as portas das prisões, romper os grilhões dos inocentes. Ela perdoa os pecados, afasta as tentações, faz cessar as perseguições, reconforta os de ânimo abatido, enche de alegria os generosos, conduz os peregrinos, acalma as tempestades, detém os ladrões, dá alimento aos pobres, ensina os ricos, levanta os que caíram, sustenta os que vacilam, confirma os que estão de pé”.
O Compêndio do Catecismo da Igreja Católica diz: “a oração é a elevação da alma a Deus ou o pedido a Deus de bens conformes à sua vontade. Ela é sempre dom de Deus,que vem ao encontro do homem. A oração cristã é relação pessoal e viva dos filhos de Deus com o seu Pai infinitamentebom, com seu Filho Jesus Cristo e com o Espírito Santo, que habita no coração deles”.
São Paulo exorta constantemente a sua comunidade. “2Perseverai na oração, vigiando com ações de graças. 3 Suplicai, ao mesmo tempo, também por nós, para que Deus nos abra porta à palavra, a fim de falarmos do mistério de Cristo, pelo qual também estou algemado; 4 para que eu o manifeste, como devo fazer” (Col 4,2ss).
Santa Teresinha concebe a oração como “um olhar elevado ao céu, um grito de reconhecimento em meio à alegria e sofrimento”. A oração é um envolvimento de intimidade com alguém que você tem certeza que te ama. O amor é o movimento de mais pleno que envolve aquele que reza. E quem reza, sofre, chora e é difamado.
Mas é exatamente por esta prática de amor que nós somos difamados por alguns. “Vede, dizem, como se amam entre si, e estão prontos a morrer uns pelos outros, enquanto que estes estão prontos a degolar-se mutuamente”, dizia Tertuliano.
Experimente rezar um pouco mais! Assuma as consequências, pois, essa violência agrada a Deus.

Anúncios