Vivat Cor Iesu,

Per Cor Mariae!

Bem vindos novamente ao CommunioSCJ. Nesta semana, as catequeses do Santo Padre Bento XVI nos levam ao encontro de S. Máximo de Turim [1], bispo pouco conhecido do norte da Itália que viveu na virada dos séculos IV e V, período em que o Império Romano se enfraquecia e era invadido pelos povos bárbaros.

Neste contexto, o ensinamento de S. Máximo, conservado nos noventa sermões que chegaram até nós, nos leva a refletir sobre “o entrelaçamento dos compromissos do ‘cidadão honesto’ com os do ‘bom cristão’” que, nas palavras do Papa Bento, “não está absolutamente superado” [2].

Este é um tema muito importante, sobretudo para nós, brasileiros, que, no país do “jeitinho”, nos esforçamos para ser bons cristãos. Vale a pena, a exemplo da catequese papal, dar espaço às palavras do Vaticano II, que exorta os cristãos a “procurarem desempenhar fielmente os seus deveres terrestres, guiados pelo espírito do Evangelho. Afastam-se da verdade os que, sabendo não termos aqui cidade permanente, mas buscarmos a futura, julgam, por conseguinte, poder negligenciar os seus deveres terrestres, não advertindo que estão mais obrigados a cumpri-los, por causa da própria fé, de acordo com a vocação a qual cada um foi chamado” (GS 43).

De fato, nossa fé põe o objetivo da nossa vida na comunhão plena com Deus, nos céus, mas isso não nos tira desta terra. Pelo contrário, nos impulsiona a trabalharmos para que este mundo dê condições para que nossos irmãos se encontrem também com o Senhor Jesus Cristo. E isso faz com que seja nossa tarefa iluminar o mundo com os valores evangélicos. Nossa fé nos leva a transformar o mundo a partir dos valores evangélicos postos em prática sempre e em todo lugar. Grande desafio, não é?

Portanto, deve ser parte do projeto de vida de cada cristão “exercer todas as suas atividades terrestres, unindo os esforços humanos, domésticos, profissionais, científicos ou técnicos em uma síntese vital com os valores religiosos, sob cuja altíssima direção todas as coisas são coordenadas para a glória de Deus” (GS 43). Isso nos faz lembrar a famosa frase de S. Paulo: “não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos, renovando a vossa mente, a fim de poderdes discernir qual é a vontade de Deus, o que é bom, agradável e perfeito” (Rm 12,2).

Que S. Máximo de Turim e a Santíssima Virgem Maria nos protejam em tão árdua tarefa.

Abraço e prece! Até semana que vem!

 

[1] BENTO XVI. “São Máximo de Turim”. In Os Padres da Igreja. São Paulo: Pensamento, 2010, p. 125-129. Disponível em: <http://www.vatican.va/holy_father/benedict_xvi/audiences/2007/documents/hf_ben-xvi_aud_20071031_po.html>.

[2] BENTO XVI, Os Padres da Igreja, p. 128.

Anúncios