Vivat Cor Iesu!

Como sempre, sejam, mais uma vez, bem vindos ao CommunioSCJ! Continuamos nosso projeto para o Ano da Fé que é estudar a primeira parte do Catecismo da Igreja Católica. Hoje, já sabendo que somos capazes de conhecer Deus e que Ele vem ao nosso encontro, chegamos ao artigo “Nós cremos”, do capítulo que trata da nossa resposta à Revelação, ou seja, a fé [1].

Quero destacar, então, algo que me parece muito oportuno, dada a realidade na qual vivemos: recebemos a fé, não a inventamos. Lemos, no número 168: “é da Igreja que recebemos a fé e a vida nova em Cristo, pelo Batismo”.

Há aqui uma coisa muito importante e que, por vezes, nos custará muito: recebemos a fé. Nós não somos donos da fé. A fé é um dom que Deus nos dá. Temos que recebê-lo. Caso contrário, Feuerbach tinha razão: teologia é antropologia alienada (o que dizemos de Deus é projeção de nossa própria realidade). Em outras palavras: ou recebemos a fé (fides quae) [2] da Revelação, ou faremos um deus à nossa imagem e semelhança.

Daí você já percebe que deste orgulho de construir um deus à nossa imagem e semelhança surgem imagens de Jesus evidentemente falseadas. Cada imagem com traços de quem o inventou. Sobra pouco de Jesus Cristo… Encontramos desde um “Jesus Tabajara” (seus problemas se acabaram) até um “Jesus Che Guevara” escondido atrás do chamado “Jesus histórico”…

Por isso, a segunda parte é muito importante: recebemos a fé da Igreja. Ser católico é ter a Igreja como mãe e obedecê-la com amor filial. Se quisermos encontrar Jesus Cristo, o único verdadeiro, devemos buscá-lo na Igreja de sempre. Somos um pequeno elo da grande corrente dos crentes que nos precederam e nos sucederão [3].

É nossa missão conservar a fé que da Igreja recebemos e sinceramente professamos [4]. Anunciá-la tal e qual, sem reduzi-la a nossos interesses, é dar a oportunidade para que outros conheçam a alegria de se encontrar com Jesus Cristo e, nele, com o Deus verdadeiro, que é Amor.

Que a Santíssima Virgem Maria, aquela que humildemente recebeu o anúncio do anjo e prontamente levou o Messias a Isabel, interceda por nós!

Fraterno abraço a todos! Até a próxima!

 

 

[1] Cf. CEC 166-184.

[2] Cf. “OS CRENTES FORTIFICAM-SE ACREDITANDO” (Sto. Agostinho) – Por Fr. Lucas, scj. Disponível em: <https://communioscj.wordpress.com/2012/08/29/os-crentes-fortificam-se-acreditando-sto-agostinho-por-fr-lucas-scj/>.

[3] Cf. CEC 166.

[4] Cf. Rito da Renovação das promessas do batismo. Pontifical Romano, p. 26.