Olá, amigos!

Nesta semana, nos aprofundaremos mais um pouco na história do homem e na sua relação com o pecado.

O homem e a mulher foram criados por Deus em um estado de “santidade original”, no qual não havia sofrimento ou morte. Viviam em plena comunhão com seu Criador, até serem tentados pela serpente que lhes enganou, plantando em seu coração o desejo de serem como Deus, alimentando-se do fruto proibido. Essa desobediência custou a eles a vida no paraíso, a entrada da morte na humanidade e a mancha do Pecado Original em toda sua descendência.

O pecado é consequência do mau uso da liberdade que Deus deu ao homem e aos anjos. Sabemos que os demônios, sob o comando de Lúcifer, foram os primeiros a se rebelarem contra Deus. Estes, antes belos anjos, quiseram formar seu próprio reino sem Deus, sendo expulsos do céu. Por serem puro espírito tinham pleno conhecimento do Criador, mesmo assim revoltaram-se contra os planos de Deus por inveja.

Por inveja, os demônios querem a todo custo afastar o homem do Criador, pois não se conformam com a misericórdia divina mostrada por tão reles criatura que é o homem e lutam para fazê-lo perder o lugar que lhes foi reservado junto de Deus. Apesar da influência que esses anjos rebeldes têm sobre a humanidade, eles não são capazes de atrapalhar Deus na instauração do seu Reino, pois são criaturas também e seu poder é infinitamente menor que o Dele.

O pecado de Adão e Eva foi transmitido para seus filhos, pôs em seus corações a Pecado Original - Michelangelo (Capela Sistina)tendência para o mal, a chamada concupiscência, ou seja, apesar de Deus ter criado o homem para ser bom, ele se deixou seduzir pela serpente, escolheu excluir Deus de sua vida, afetando para sempre a harmonia com Ele, seus irmãos e com toda a Criação. A santidade e a justiça originais que tinham recebido de Deus se extinguiu para sempre. Mas, assim como o homem tende para o mal, ele também tem uma tendência para Deus e anseia voltar para Ele, pois há um vazio em seu coração que somente Deus preenche. Como se engana aquele que busca a satisfação em outras direções.

Deus buscou, desde o princípio, restaurar a Aliança com teu povo, através de Abraão, de Moisés, de muitos profetas ao longo da história do povo de Israel até que enfim manda o teu próprio Filho, que vem para redimir os pecados do mundo, para renovar a Aliança entre Deus, o povo de Israel, e toda a humanidade.

Para restaurar esta Aliança, foi dada à Igreja, por meio do Batismo, a remissão do Crucificado (Ícone)Pecado Original e a chance de retornar à vida na graça de Deus. Apesar dessa primeira remissão, a concupiscência está encravada no homem e para retornar à santidade que perdeu pelo pecado, o homem terá que batalhar duramente dia após dia, sem cessar.

Adão pecou gravemente e trouxe consequências terríveis para toda humanidade, mas por causa desse grande mal, superabundou a graça divina por meio de Jesus Cristo. Enfim o Homem Novo substitui o Homem Velho. Deus mostra mais uma vez, de forma insuperável que de um grande mal pode tirar um grande bem.

São Francisco de Assis sempre dizia que não queria ser santo enquanto estivesse vivo, porque Jesus veio para os pecadores e se ele fosse santo perderia a grande graça da presença de Jesus em sua vida.

Um abraço a todos, muita força e coragem na busca pela santidade perdida, que Deus abençoe nossa semana!

 

 

Cf. CEC 385-421