Olá, amigos!

Continuando a nossa reflexão sobre o Credo, chegamos à descida de Jesus à Mansão dos Mortos.

Como professa nossa fé, Jesus morreu e, enquanto esperava sua Ressurreição, desceu até onde os mortos, que viveram segundo o amor de Deus, aguardavam, para serem finalmente levados para junto do Pai. Somente o sacrifício de amor de Jesus poderia abrir as portas do céu, que Adão havia fechado pelo pecado.

O pecado causa culpa e penas. Jesus pagou a nossa culpa, herdada de Adão, na Ícone - descida aos infernoscruz. As penas são as punições da alma que estão condenadas a viver eternamente longe de Deus. Segundo Papa Inocêncio III, a pena do pecado original é a carência da visão de Deus e a pena do pecado cometido nesta vida é o tormento do inferno eterno.

Os justos estavam na Morada dos Mortos, não sentiam as dores do fogo, mas estavam privados da visão de Deus. Esta também era chamada de “os infernos”, distinto do Inferno propriamente dito, aonde vão aqueles que livremente repudiaram a Deus em vida, que cometeram pecado mortal e não se arrependeram: para eles já não existe a Salvação, pois rejeitaram o amor e a misericórdia de Deus.

Jesus cumpriu sua missão plenamente, pois amou a todos incondicionalmente, não deixou nem aqueles que não estavam mais entre os vivos, mostrando que a Salvação é para todo aquele que crê e ama a Deus.

Depois de passados os três dias de permanência com eles, O Filho de Deus saiu Ícone - Jesus desce aos infernosseguido por uma grande procissão de justos em direção ao céu. Jesus desceu do céu para nos levar ao céu, desceu aos infernos para cumprir plenamente sua missão, já que somente Ele tem o poder sobre todas as coisas, que Ele venceu a morte, venceu todo o poder maligno na terra e abaixo da terra. Não há poder no mundo que não se curve perante o nome de Jesus.

Oremos e sejamos fiéis enquanto é tempo, pois a misericórdia de Deus é infinita, mas a nossa vida não é. Quem viver longe do amor de Deus na terra em vida padecerá com grandes suplícios eternamente e não convém esperar o último momento para a conversão. Converter-se é necessário sempre, e para ajudar-nos neste caminho, temos os Sacramentos.

Que Nosso Senhor Jesus Cristo seja sempre louvado em toda hora e lugar, hoje e sempre, amém.

 

 

Fonte:

CEC 631-637.

Anúncios