Olá, amigos!

Mais uma vez, sejam bem vindos ao nosso blog!

Hoje, refletiremos sobre a minha e a sua missão na Igreja, a missão dos fiéis leigos. Cabe aos leigos buscarem a santidade em sua vida cotidiana, na simplicidade de suas atividades e em seus relacionamentos com os irmãos, Cruz JMJprocurando em cada atitude, agradar a Deus e sempre agindo à luz do Espírito Santo.

Leigos são todos os cristãos batizados que não foram ordenados. Porém, mesmo assim, participam da missão sacerdotal, profética e régia de Cristo e contam com a vantagem de estarem “infiltrados” no mundo.

Participam da função sacerdotal de Cristo, enquanto, no Espírito Santo, oferecem a Deus toda sua vida, até os momentos de sofrimento suportados com paciência, entregando-os no altar de Nosso Senhor Jesus Cristo como “hóstias espirituais agradáveis a Deus” [1], como forma da mais singela adoração.

Recebem também a missão profética de Cristo, de evangelizar por onde passam, seja pelo testemunho por meio das atitudes mais simples, seja pela pregação da palavra de Deus aos que não a conhecem, pois o Espírito Santo está em todo lugar e, às vezes uma simples palavra pode entrar no coração de alguém e iniciar ali um Ícone e Cruz JMJprocesso de conversão.

A função régia do leigo é reinar sobre seu próprio corpo, é não deixá-lo cair no pecado, é lutar contra as paixões deste mundo e buscar sempre a santidade. É reinar sobre si, lembrando que, acima de todos, há um Rei Maior do qual depende e não se deixar levar pela tentação de colocar-se no lugar de Deus, afastando-O de sua vida.

O indiferentismo religioso e o ateísmo nas suas mais variadas formas, particularmente naquela que hoje talvez seja a mais espalhada, a do secularismo, [2] estão tomando o lugar de Deus no coração do homem. Não que o progresso seja ruim, mas, cria no homem uma falsa autossuficiência, na qual ele começa a pensar que não precisa de pessoas para ser feliz, mas de coisas. Acaba “amando coisas e usando pessoas”, tratando-as como se fossem descartáveis.

“O Matrimônio não dá certo, melhor separar”;

“Engravidou sem querer, melhor abortar”;

“O avô está em coma, vamos desligar os aparelhos e deixá-lo morrer”;

O mundo cria alternativas para que o homem fuja das responsabilidades que lhe custem esforço. O divórcio, o aborto, a eutanásia, são alguns exemplos do homem tentando tomar o lugar de Deus e recusando-se ao sacrifício. Há circunstâncias em que realmente não se têm alternativas, e uma decisão como o divórcio, por Cruz e Ícone JMJexemplo, é inevitável, mas a pergunta que cada leigo numa situação assim deve se fazer é: “Fiz o possível para dar certo?” E caso a resposta seja sim, com sua consciência tranquila, deve voltar seu coração a Deus e deixá-lo reconduzir sua vida.

Ser um fiel leigo é estar na contramão do mundo. É fazer escolhas que surpreendem, como: devolver um troco errado, respeitar uma fila, achar uma carteira perdida na rua e devolvê-la, optar por sacrificar dias e noites cuidando de um doente, escolher ser mãe e sacrificar a carreira pela educação de um filho e ainda, nesta aventura da vida, crer que Deus não nos desampara.

Por mais que nossos caminhos sejam incertos nesta vida, devemos ter a certeza de que Deus caminha sempre ao nosso lado e que o seu amor, o essencial para a nossa vida nós teremos sempre, tenhamos fé!

Em alguns dias, receberemos em nosso país, o Papa Francisco na Jornada Mundial da Juventude. Este será um momento muito especial que, mais uma vez, mostrará ao mundo o quanto a Igreja Católica é unida, jovem e vibrante.

Rezemos pelo nosso Papa e por todos os participantes, para que saiam deste grande encontro com o verdadeiro ardor missionário.

Um abraço a todos.

 

 

CEC 897-914.

[1] 1Pd 2,5.

[2] Beato João Paulo II, Christifideles laici, disponível em: <http://www.vatican.va/holy_father/john_paul_ii/apost_exhortations/documents/hf_jp-ii_exh_30121988_christifideles-laici_po.html>.

Anúncios