Olá, amigos, a paz de Jesus!

Mais uma vez retornamos a este espaço para refletir sobre a fé que os Apóstolos nos transmitiram através dos séculos, apresentada pelo nosso Catecismo, principal fonte de aprofundamento para nós católicos.

A nossa fé tem base na Ressurreição de Cristo, e como São Paulo diz: “vã é a nossa fé se não crermos que Jesus ressuscitou” [1].

Deus nos criou para a vida plena, não para a morte. Como podemos ver nas Ícone - RessureiçãoSagradas Escrituras, a morte é consequência do Pecado, do homem querendo igualar-se a Deus. Mesmo assim, Ele não desistiu do homem, por isso mandou seu Filho para reconciliar a humanidade consigo. Jesus desceu à Mansão dos Mortos e resgatou os justos que aguardavam a sua vinda, venceu para sempre a morte, a qual não mais se precisará temer, ressuscitou e deixou a todos os discípulos a esperança de ressuscitar com Ele pelo Espírito Santo que caminha conosco até o fim dos dias.

Quando uma pessoa morre, ocorre o que chamamos “Juízo Particular”, ou seja, cada homem recebe em sua alma imortal a retribuição, seja através de uma purificação (purgatório), seja para entrar de imediato na eterna felicidade do céu (paraíso), ou para condenar-se para sempre.

No final dos tempos vai haver o Juízo Final. Como vai ser, somente o Deus sabe. Sabemos apenas que Deus vai ressuscitar o nosso corpo, para sermos julgados todos juntos. A ressurreição dos mortos foi revelada de modo progressivo por Deus a seu povo. Jesus a ensina com firmeza, [2] e por isso, nós podemos crer na eternidade junto de Deus, onde voltaremos a ser corpo e alma, não da mesma Ícone - Juízo Finalforma que somos aqui, mas com um corpo glorificado pela graça do Senhor. Maria já está lá. Por sua obediência, fé e fidelidade ela nos precede no Reino dos Céus, basta segui-la e ela nos levará diretamente para seu Filho.

Os santos reconhecem na morte, o prêmio de todo cristão, afinal, é a hora de receber a coroa da vitória, como Paulo dizia quando sentiu que seu combate estava chegando ao fim [3]. Santa Teresinha sabia que para chegar a Deus era necessário morrer [4].

A fé na vida eterna é para nós motivo de força e consolo nos momentos em que é necessário deixar que alguém que amamos, parta em paz, pois a nossa meta é caminhar até chegar em Deus. Lágrimas são derramadas, permanece a saudade, mas fica também a certeza de que há mais alguém no céu intercedendo por nós. Assim como, um dia, nós também chegaremos lá, com a graça de Deus. Por isso, busquemos levar uma vida correta, caminhando para a santidade, procurando a Confissão sempre, pois não sabemos quando seremos chamados por Deus.

Que o Senhor nos abençoe, nos livre de todo o mal e nos conduza à vida eterna, Amém! [5]

 

 

CEC 988-1019

[1] 1 Cor 15,2.

[2] A ressurreição da carne e a vida eterna, disponível em: <http://www.catequisar.com.br/texto/materia/dout/lv03/23.htm>.

[3] 2Tm 4,7.

[4] CEC 1011.

[5] Liturgia das Horas.