Olá, amigos!

Refletindo sobre a realidade após a morte, relembramos que tudo o que a fé católica professa sobre o assunto foi o próprio Cristo quem nos ensinou, quando, várias vezes fez menção ao julgamento final e à realidade que haveria de vir após a morte.

Todas as escolhas que fizermos durante a vida terão sua recompensa no momento do Juízo Final, quando Jesus voltará para ressuscitar a todos e dar-nos a justa recompensa, separando o joio do trigo, as ovelhas dos cabritos, os bons dos maus.

Será que estaremos preparados quando esse momento chegar? Será que receberemos nosso Mestre com grande paz e alegria por nos juntarmos a Ele ou com grande medo, implorando misericórdia pelos graves pecados cometidos em vida?

Quando Jesus sobe ao monte e fala sobre as bem-aventuranças, Ele ensina os Juízo Final - Capela Sistina (Michelangelo)segredos para acolher o dom do Reino dos Céus: “Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o Reino dos Céus, bem-aventurados, os que choram porque serão consolados, bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia, bem-aventurados os limpos de coração, porque verão a Deus” [1].

Jesus é o professor dos sonhos de todos os alunos, pois antes da prova ele já passou todas as respostas e critérios pelos quais seremos avaliados durante o Último Julgamento.

Revelou-nos quem são os seus preferidos e como devemos tratá-los. Deus colocou em nossos caminhos muitas pessoas, às quais, Jesus chama de “pequeninos”. São as pessoas com as quais devemos nos preocupar, pois são excluídas do mundo, mas não podem ser excluídas por aqueles que seguem a Cristo. Pessoas que vivem desamparadas, passam fome, frio ou solidão e precisam de nós. Será que estamos cuidando dos pequeninos, como o Senhor nos pede?

E então o Rei dirá aos que estiverem à sua esquerda: “Tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me. Em verdade vos digo que tudo o que fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.” Dirá também aos que estiverem à sua esquerda: “Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos; Porque tive fome, e não me destes de comer; tive sede, e não me destes de beber” [2].

A vida na terra é um presente preciosíssimo dado por Deus, porém não é para sempre, tem data de início e data de término (conhecida apenas por Deus). Alguns acreditam como nós, que a alma é eterna, porém, ao contrário de nós creem que ela pode voltar à vida várias vezes até evoluir no plano espiritual. É muito cômodo pensar assim, pois não precisa firmar compromisso em mudar de vida, afinal, acreditam que voltarão para acertar o que ficou pendente.

Não se engane! A conversão deve acontecer hoje, amanhã pode ser muito tarde. Só se vive uma vez!

Que o Senhor nos conduza sempre pelo bom caminho, que coloque em nosso coração o seu próprio Espírito para que sejamos bons como Ele é, afinal, não deve ser chamado cristão aquele que não se configura a Cristo, amém!

 

 

[1] Mt 5,3-8.

[2] Mt 25,34-42.

Anúncios