Caros irmãos, na sexta-feira santa não temos a Santa Missa, mas a celebração solene da Paixão de Nosso Senhor. Trata-se de um dia de jejum, abstinência e oração em que reservamos o melhor de nossas forças para a contemplação de Jesus Crucificado por amor de nós (cf. Jo 18,1-19,42). Peçamos a Deus a graça de corresponder generosamente a Seu Amor.

Como disse o Papa Emérito Bento XVI: “a ‘Via Crucis’ não é uma coisa que pertence ao passado (…). Na ‘Via Crucis’ não há a possibilidade de ser neutral. Pilatos, icone_crucificado.jpgintelectualmente cético, procurou ser neutral, ficar de fora; mas precisamente assim, tomou uma posição contra a justiça, devido ao conformismo da sua carreira. Devemos procurar nosso lugar”. Por isso, esta sexta não é um feriado qualquer, mas um dia importante de recolhimento e oração: precisamos encontrar e ocupar nosso lugar.

Neste sentido, somos convidados a seguir o caminho da Misericórdia. O Amor do Senhor crucificado é, antes de mais, um amor misericordioso: Ele se compadece de nós e nos cura de nossos pecados. Mas não só para encontrar o perdão – embora isso seja imprescindível e insubstituível – o contato com este Amor deve nos tornar misericordiosos. Assim, poderemos, pela força de Deus que atua em nós, transformarmos nossas relações para vivermos na justiça que vem de Cristo e sermos suas testemunhas para que mais e mais irmãos se aproximem da fonte de toda Graça.

Que a Virgem das Dores interceda por nós, a fim de que sejamos constrangidos e contagiados pela Misericórdia que brota do lado aberto de nosso Senhor Jesus Cristo.