Caros irmãos, a liturgia deste vigésimo nono Domingo do Tempo Comum nos dá a oportunidade de refletir sobre o nosso relacionamento com o Senhor Jesus e com o próximo (cf. Mc 10,35-45). Deixando-nos questionar por suas palavras, roguemos ao Salvador que nos sustente no caminho que Ele mesmo nos propõe.

Embora previsto (cf. Is 53,10-11 – primeira leitura), o modo como Deus opera a salvação oferecida ao mundo não foi, ao menos de início, acolhida pelos Doze em toda a sua profundidade. E, ao que parece, também nós temos dificuldade em entrar por este Caminho. Ou seja, queremos a glória de estar perto de Jesus, mas, para tanto, precisamos estar dispostos a nos unirmos a Ele em seu caminho de Cruz: “Por acaso podeis beber o cálice que eu vou beber?” (Mc 10,38).

Fomos criados para viver com o Senhor e nosso coração deseja essa glória. Porém, o modo misteriosamente escolhido por Deus para nos trazer a Si foi a cruz redentora de downloadJesus Cristo. Visto que Ele é o caminho (cf. Jo 14,6), não podemos arranjar um jeitinho de chegar lá sem percorrer a vida da paixão-morte-ressurreição. Embora esta via nos deixe desconcertados, podemos ter confiança, visto que “temos um sumo sacerdote capaz de se compadecer de nossas fraquezas, pois ele mesmo foi provado em tudo como nós, com exceção do pecado” (Hb 4,15).

Concretamente, isso significa que devemos nos unir a Jesus por uma via de humildade: “entre vós, não deve ser assim: quem quiser ser grande, seja vosso servo; e quem quiser ser o primeiro, seja o escravo de todos” (Mc 10,43-44). Precisamos acolher a Graça que nos capacita para aproveitar as oportunidades que temos de servir nossos irmãos mais próximos, por exemplo em nossas casas, por amor a Deus. Deixemos de lado nosso egoísmo que esperneia e nos doemos, gastando-nos, doando nossa vida e nosso tempo, pelo bem dos outros no Amor de Cristo.

Peçamos a intercessão da Bem-aventurada Virgem Maria, a fim de encontrarmos nela um modelo de seguimento do Senhor no caminho da Cruz: À vossa proteção recorremos, Santa Mãe de Deus. Não desprezeis as nossas súplicas em nossas necessidades, mas livrai-nos sempre de todos os perigos, ó virgem gloriosa e bendita. Amém!

 

 

Para ulterior reflexão, sobre a confiança em Deus:

A GRANDE AUSÊNCIA, ONDE ESTÁ DEUS NO SOFRIMENTO – Prof. John Lennox; disponível em: <<https://www.youtube.com/watch?v=GpXyyBR8hJA&t=89s>>.

Anúncios