Caros irmãos, neste domingo a Igreja no Brasil celebra a Solenidade de Todos os Santos, transferida da última quinta-feira. Oportunamente, a liturgia nos convida à contemplação dos santos como nossos intercessores e modelos: aqueles que nos mostram o que somos chamados a ser e, com sua intercessão, nos ajudam no caminho da santidade. Meditemos um pouco sobre este mistério.

O nosso primeiro e, por assim dizer, mais imediato relacionamento com os santos é do de pedir sua ajuda em nossas diversas necessidades. Trata-se da intercessão que se baseia Ícone - Comunhão dos Santosno mistério da comunhão dos santos que professamos crer toda vez que rezamos um dos símbolos da fé [1]. Mas esta realidade não esgota nossa relação com os santos. Ademais, abre-nos para uma dimensão à qual devemos dar maior atenção.

O Concílio Vaticano II nos lembrou que “os cristãos de qualquer estado ou ordem são chamados à plenitude da vida cristã e à perfeição da caridade” [2]. Ou seja, todos somos vocacionados à santidade. Na liturgia, essa realidade está expressa na grande multidão que está de pé diante do trono do Cordeiro (cf. Ap 7,2-4.9-14 – segunda leitura). Assim, mais que intercessores, os santos representam nosso modelo, pois viveram bem o projeto ao qual o Senhor os chamou, e nos mostram qual o fim da nossa vida: a santidade.

Temos uma bela expressão desta vida no Sermão da Montanha, iniciado com as bem-aventuranças (cf. Mt 5,1-12a – Evangelho). Mais uma vez, por um lado, estamos diante de um texto que nos desmascara e nos mostra como somos fracos para viver a vontade de Deus. Mas, por outro lado, nossos intercessores são testemunhas de que é possível viver em santidade! Como? Se deixarmos o Senhor agir em nós, ou seja, se formos filhos no Filho (cf. 1Jo 3,1-3 – segunda leitura).

Portanto, é Jesus que, vivendo em nós, nos faz santos – nos transforma e nos capacita para a santidade. E, em cada um dos santos de nossa devoção, vemos o Jesus vivente. Peçamos, enfim, que a Bem-aventurada Virgem Maria, Rainha do Céu, interceda por nós a fim de vivermos bem nossa vocação à santidade.

À vossa proteção recorremos, Santa Mãe de Deus. Não desprezeis as nossas súplicas em nossas necessidades, mas livrai-nos sempre de todos os perigos, ó virgem gloriosa e bendita. Amém!

 

[1] Sobre a intercessão dos santos:

Catecismo da Igreja Católica, n. 946-959.

Veja também: < https://padrepauloricardo.org/episodios/culto-aos-santos-e-suas-imagens >.

[2] Constituição Dogmática Lumen Gentium, n. 40.

Sobre a vocação universal à santidade: < https://padrepauloricardo.org/episodios/50-anos-do-concilio-vaticano-ii-vocacao-universal-a-santidade >.

Anúncios