Caros irmãos, ao celebrarmos o trigésimo segundo Domingo do Tempo Comum contemplaremos o elogio do Senhor à oferta da viúva (cf. Mc 12,38-44). Abramos o nosso coração para que Ele nos conduza no caminho da generosidade.

Podemos nos guiar, para nossa oração em três pontos: o primeiro, Deus vê o coração. Apesar da aparente bondade e beleza da vida dos doutores da lei, a maldade da sua downloadintenção corrompe tudo o que poderia haver de bom para si mesmos (cf. Mc 12,38-40). E isso nos leva diretamente ao segundo ponto: a intenção conta mais que a materialidade da ação. Isso não significa, de modo algum, que um ato mau pode se tornar bom se feito com uma boa intenção. Mas, a má intenção corrompe um ato exteriormente bom. Assim, devemos estar atentos ao que nos motiva, porque nosso Senhor, que vê nosso coração e não pode ser enganado, se importa verdadeiramente com isso.

Enfim, chegamos ao terceiro ponto: a generosidade abre as portas da nossa vida para a ação de Deus. A oferta da viúva é materialmente uma coisa muito pequena, mas porque é de uma generosidade singular – ela “ofereceu tudo aquilo que possuía para viver” (cf. Mc 12,44) – abre as portas de sua vida para que o Senhor aja. Ele nos quer por inteiro e não em partes. Como nos recordou Santa Teresinha, nós somos realmente pobres e nada podemos oferecer que não nossa pobreza. Mas se lhe oferecermos com generosidade as ações aparentemente insignificantes do nosso dia a dia, seu Amor poderoso impulsiona nosso coração e, assim, também nós nos tornamos capazes de amar extraordinariamente.

Que nossa Mãe do Céu, a Bem-aventurada Virgem Maria nos sustente e nos ajude a nos oferecermos sem reservas a Deus. À vossa proteção recorremos, Santa Mãe de Deus. Não desprezeis as nossas súplicas em nossas necessidades, mas livrai-nos sempre de todos os perigos, ó virgem gloriosa e bendita. Amém!

Anúncios