Batismo

Caros irmãos, celebramos, neste domingo, a festa do Batismo do Senhor e, com ela, encerramos o tempo litúrgico do Natal. A partir do relato de São Mateus (cf. Mt 3,13-17), nos deixemos alcançar pela divina Graça e renovemos o nosso Batismo e abramos nosso coração para o Espírito Santo.

No seu diálogo com João Batista, Jesus diz que deve ser batizado para cumprir toda justiça (cf. Mt 3,15). Estamos, de fato, diante do anúncio (ou da manifestação) da missão do Senhor: Ele desce ao Jordão, porque é Aquele que desceu do céu para ser a nossa salvação; é submerso nas águas pois iria morrer por nós; e saindo dali, abrem-se os céus, vem o Espírito e se faz ouvir a voz do Pai, para que nós sepultados no batismo fôssemos inseridos na Paixão-Morte-Ressurreição do Senhor e, assim, nos tornássemos filhos amados de Deus.

Por isso, nesta celebração, somos chamados não só a recordar o dia do nosso Batismo, mas renovar as suas promessas para vivermos, na Graça de nosso Salvador, como verdadeiros filhos do Altíssimo. E como é bom saber que Deus não despreza a nossa fragilidade, mas chama para a justiça e, ainda mais, nos justifica com Sua Misericórdia! (cf. Is 42,3-4 – primeira leitura) Por isso, com confiança, arrependamo-nos e peçamos perdão de nossos pecados. Deixemo-nos, assim, inundar pela Graça do Senhor e vivamos no Seu temor e na Sua justiça. (cf. At 10, 34-5 – segunda leitura)

Que a bem-aventurada Virgem Maria, mãe de Deus e nossa, e São José, seu castíssimo esposo, intercedam por nós a fim de que seja reavivada em nossos corações a tremenda graça que recebemos no nosso Batismo.

Sub tuum præsidium confugimus.
sancta Dei Genitrix:
nostras deprecationes
ne despicias in necessitatibus:
sed a periculis cunctis libera nos semper,
Virgo gloriosa et benedicta.